Como os níveis hormonais mudam com o passar dos anos

O sistema endócrino e os níveis hormonais é uma coisa incrível. É a extensa rede de glândulas que produzem os hormônios que precisamos para regular o metabolismo, a função sexual, o crescimento, o humor e muito mais.


À medida que avançamos pelos estágios da vida, nossos níveis hormonais flutuam. Envelhecimento significa que produzimos mais de alguns hormônios e menos de outros.

Essa mudança é completa e compreendê-la é fundamental para quem deseja uma longevidade saudável. É por isso que compartilho com vocês este artigo, no qual explico como os níveis hormonais mudam com o passar dos anos.


O que são os hormônios?


Os hormônios são controlados pelo sistema endócrino do corpo e servem como mensageiros que desempenham um papel crítico no equilíbrio e na função dos principais órgãos do corpo.


Do sono ao estresse e ao amor, os níveis hormonais são os principais fatores que contribuem para o funcionamento do nosso corpo.


Quando estão em equilíbrio adequado, os hormônios ajudam o corpo a prosperar. Mas às vezes os níveis hormonais são muito altos ou muito baixos.


Desequilíbrios hormonais podem ocorrer a qualquer momento, independentemente da idade, e causar sérios problemas de saúde.


Logo, é extremamente importante para a saúde mental e física que nossos níveis hormonais permaneçam em equilíbrio.


Como os hormônios se alteram com a idade?


Estrogênio (nas mulheres), testosterona (nos homens), hormônio do crescimento e melatonina são os hormônios no corpo que mais comumente diminuem a função com a idade.


Nas mulheres, o declínio nos níveis de estrogênio leva à menopausa. Nos homens, os níveis de testosterona geralmente diminuem gradualmente e podem levá-lo a andropausa.

A diminuição dos níveis de hormônio do crescimento pode levar à diminuição da massa e força muscular.


A diminuição dos níveis de melatonina pode desempenhar um papel importante na perda dos ciclos normais de sono-vigília (ritmos circadianos) com o envelhecimento.


Sinais de desequilíbrio hormonal


Homens e mulheres podem apresentar sintomas semelhantes quando os hormônios estão desequilibrados.

Você pode ter problemas para dormir ou se esforçar para acordar de manhã, mesmo que tenha dormido uma noite inteira.


Suas emoções são erráticas. Você se irrita ou fica irritado com frequência e tem falhas de energia. O estresse às vezes parece esmagador e você está propenso à depressão ou ansiedade.


Os níveis hormonais também são importantes para sua função sexual. Homens com desequilíbrios hormonais podem experimentar uma diminuição da libido e disfunção erétil.

As mulheres também podem se sentir menos libido e secura vaginal, que torna a relação sexual desconfortável e até dolorosa.


O ganho de peso é comum com desequilíbrios hormonais. As mulheres podem começar a ver os quilos se acumularem em torno da cintura, e os homens acham mais difícil construir músculos enquanto a gordura se acumula. A fome às vezes é incontrolável.


Os sintomas físicos incluem ondas de calor, suores noturnos, dores de cabeça e aumento da sensibilidade à temperatura.


Impactos da mudança dos níveis hormonais


O hipotálamo está localizado no cérebro. Produz hormônios que controlam as outras estruturas do sistema endócrino, incluindo a glândula pituitária.


A quantidade desses hormônios reguladores permanece aproximadamente a mesma, mas a resposta dos órgãos endócrinos pode mudar à medida que envelhecemos.


A glândula pituitária está localizada logo abaixo da hipófise no cérebro. Essa glândula atinge seu tamanho máximo na meia-idade e depois gradualmente se torna menor. Tem duas partes:

  • A parte de trás (posterior) armazena hormônios produzidos no hipotálamo.

  • A parte frontal (anterior) produz hormônios que afetam o crescimento, a glândula tireoide (TSH), córtex adrenal, ovários, testículos e seios.

A glândula tireoide está localizada no pescoço. Produz hormônios que ajudam a controlar o metabolismo. Com o envelhecimento, a tireoide pode tornar-se irregular (nodular).

O metabolismo diminui com o tempo, começando por volta dos 20 anos. Como os hormônios da tireoide são produzidos e decompostos (metabolizados) na mesma taxa, os testes de função da tireoide geralmente ainda são normais.


Em algumas pessoas, os níveis de hormônio da tireoide podem aumentar, levando a um aumento do risco de morte por doença cardiovascular.


Por sua vez, as glândulas paratireoides são quatro pequenas glândulas localizadas ao redor da tireoide.


O hormônio da paratireoide afetam os níveis de cálcio e fosfato, que afetam a resistência óssea. Os níveis de hormônio da paratireoide aumentam com a idade, o que pode contribuir para a osteoporose.


Outros impactos no corpo


A insulina é produzida pelo pâncreas. Ajuda o açúcar (glicose) a ir do sangue para o interior das células, onde pode ser usado como energia.


Por exemplo, o nível médio de glicose em jejum aumenta de 6 a 14 miligramas por decilitro (mg/dL) a cada 10 anos após os 50 anos, à medida que as células se tornam menos sensíveis aos efeitos da insulina. Quando o nível atinge 126 mg/dL ou superior, a pessoa é considerada diabética.


As glândulas supra-renais estão localizadas logo acima dos rins. O córtex adrenal, a camada superficial, produz os hormônios aldosterona, cortisol e desidroepiandrosterona.

A liberação de aldosterona diminui com a idade. Essa diminuição pode contribuir para tontura e queda da pressão arterial com mudanças bruscas de posição (hipotensão ortostática).


A liberação de cortisol também diminui com o envelhecimento, mas o nível sanguíneo desse hormônio permanece praticamente o mesmo. Os níveis de dehidroepiandrosterona também caem.


Como evitar o declínio hormonal


As flutuações nos níveis hormonais geralmente fazem parte do funcionamento típico do seu corpo. No entanto, de um modo geral, manter-se saudável e ativo pode ajudar a manter seu sistema endócrino funcionando bem.


Você pode ajudar a regular seus níveis hormonais e gerenciar as flutuações:

  • Comer uma dieta saudável cheia de frutas e legumes

  • Exercitar-se regularmente

  • Visitar regularmente um profissional de saúde (especialmente se você tiver histórico ou histórico familiar de distúrbios endócrinos)

  • Dormir adequadamente, o que é crucial para a regulação hormonal

Às vezes, no entanto, as flutuações hormonais requerem tratamento médico. O tratamento dependerá de quais níveis hormonais estão muito altos ou muito baixos e quais são os níveis. Também depende de quais sintomas você está enfrentando.


Na maioria das vezes, é dever do profissional de saúde identificar as causas exatas do descontrole hormonal e tratá-las, ao invés de simplesmente querer tratar os sintomas.




Texto: Revista Longevidade Saudável