top of page

Compreenda a importância da reposição hormonal de testosterona


A reposição hormonal de testosterona oferece inúmeras oportunidades relacionadas à melhoria da qualidade de vida e saúde de muitos pacientes.


Por conta disso, ao examinar e realizar o balanço hormonal de muitos, a prescrição de terapias de reposição hormonal pode ser amplamente indicada, desde que seja realizada por um profissional com conhecimento em hormonologia.


Tanto para homens quanto para mulheres, a produção desse hormônio pelo organismo sofre quedas catastróficas ao passar dos anos, gerando consequências de extrema nocividade para homens de todo o país.


Assim como a maior parte dos hormônios, a sua produção é considerada regular até a idade entre 25 e 30 anos, com o seu pico maior durante a adolescência.


No homem, a testosterona constitui um dos principais anabolizantes naturais responsáveis pelo restauro de inúmeras funções do organismo.


Nesse sentido, associar a testosterona apenas aos aspectos da esfera sexual é um grande equívoco que precisa ser revisto, a fim de que a população compreenda mais sobre a importância desse hormônio para o corpo do homem e também da mulher.


Continue a leitura e compreenda mais sobre a importância da reposição hormonal de testosterona e a sua contribuição para a qualidade de vida.


Afinal, qual a importância da reposição hormonal de testosterona?


A testosterona é um regulador metabólico sistêmico.

Como citado na introdução deste artigo, ao longo dos anos, o hormônio sofre com declínio, demonstrando diversos sinais que comumente podem ser confundidos e considerados como algo “normal da idade avançada”.


Entretanto, de acordo com a National Library of Medicine o envelhecimento dos homens é, de maneira individual, acompanhado por um declínio progressivo da produção de testosterona sérica.


Os mesmos dados apontam que, a partir dos 40 anos, o declínio da testosterona no organismo do homem gira em torno de 1% ao ano.


Além disso, cerca de 20% dos homens com idade acima de 60 anos, apresentam níveis séricos abaixo do ideal.

Segundo um estudo norte-americano, baixos níveis de testosterona podem aumentar as chances de morte em homens acima de 50 anos.


Nesse sentido, torna-se ainda mais importante a necessidade de um atendimento médico com um olhar individualizado para tais pacientes, a fim de beneficiá-los através da terapia de reposição hormonal.


De acordo com um estudo conduzido por brasileiros, publicado na revista científica New England Journal of Medicine, a testosterona estimula o organismo a produzir a enzima telomerase, capaz de prolongar a capacidade de as células se dividirem.


Mas por que isso é importante? Com o passar do tempo, os telômeros vão ficando mais curtos. Isso impede as células de se reproduzirem, levando-as ao envelhecimento.

Tal processo está ligado à redução da telomerase, cuja ação repara os telômeros.


Para associar a relação da reposição hormonal de testosterona com a recuperação da qualidade de vida, os pesquisadores da Universidade de São Paulo – USP realizaram testes em laboratórios.


Após os resultados, desenvolveram um protocolo com objetivo de prescrever a terapia de reposição hormonal de testosterona aos indivíduos com telômeros muito curtos e doenças associadas a mutações no gene codificador da telomerase.


Os resultados foram surpreendentes para a equipe. Ao todo, 45% dos participantes apresentaram alongamento dos telômeros, quando o objetivo inicial era apenas de reduzir esse encurtamento.


Assim, as expectativas foram superadas. A pesquisa abriu caminhos para novos estudos em que as doenças crônicas podem ser combatidas por meio da reposição hormonal.


Testosterona baixa: conheça os sinais


Infelizmente, a deficiência de testosterona ainda é frequentemente confundida com sinais de envelhecimento.


Assim como as mulheres passam pela menopausa, os homens também possuem o seu próprio declínio hormonal, chamado de andropausa.


Contudo, os exames laboratoriais costumam ser vastos e nem sempre refletem essa deficiência, exigindo que o profissional médico esteja apto a identificar os sinais e diagnosticar o tratamento adequado para cada caso de maneira individual.

Alguns dos sintomas mais comuns de testosterona baixa são:

  • Flacidez muscular;

  • Diminuição da força física;

  • Aumento da circunferência abdominal;

  • Aceleração do envelhecimento cutâneo;

  • Retração gengival;

  • Redução da imunidade;

  • Aumento da queda de cabelo.

Testosterona em mulheres: compreenda a importância do equilíbrio hormonal


Conforme foi possível compreender ao longo deste artigo, os hormônios são de extrema importância para a nossa qualidade de vida.


Nesse artigo, abordamos especificamente a testosterona, um hormônio em sua maioria relacionado à população masculina, contudo, que representa também um fundamental papel na saúde da mulher.


Um estudo recente, encontrou evidências de que, para mulheres com mais de 70 anos, ter baixos níveis de testosterona pode dobrar o risco de um evento cardíaco.


Nesse sentido, elucidar a importância da testosterona para a promoção de qualidade de vida tanto para homens, quanto para mulheres é fundamental para promover uma longevidade mais saudável.


A reposição hormonal de testosterona e a recuperação da qualidade de vida


A terapia de reposição hormonal de testosterona é uma maneira de retomar o controle sobre sua saúde e qualidade de vida, tornando essencial a consulta com profissionais médicos que possuam conhecimentos em hormonologia.


O tratamento para a andropausa e menopausa, considerados os principais declínios hormonais que o ser humano vivencia, requerem um olhar individualizado para o paciente, a fim de manter equilíbrio hormonal e fisiológico.

コメント


bottom of page