Síndrome Metabólica e Saúde Mental

Sempre tenho em mente os pilares da Medicina Funcinal, Integrativa e do Estilo de Vida em mente: Saúde Física – alimentação saudável, exercícios físicos e sono reparador e a Saúde Mental: manejo de stress e vida em comunidade.

Ao considerar as doenças em países de alta renda, depressão e doenças cardiovasculares estão no topo da lista das mais prevalentes.


A conexão entre doenças cardiovasculares e depressão está bem estabelecida, mas nosso entendimento sobre a natureza bidirecional dessa relação, a saber como a saúde mental afeta o risco cardiovascular, está nos estágios iniciais.


Pacientes com doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, fibrilação atrial e desfibriladores cardíacos implantados apresentam um risco muito maior de depressão em comparação com indivíduos saudáveis.


No entanto, a evidência sugere que a depressão precede os eventos cardiovasculares para muitos pacientes.


Para resumir algumas dessas pesquisas:

  • Em um estudo, a depressão maior precedeu a síndrome coronariana aguda por mais de 30 dias em 53% dos pacientes.

  • Em outro estudo, quase 50% dos pacientes pensavam que não valia a pena viver duas semanas antes da hospitalização por problemas cardíacos.

  • Uma meta-análise concluiu que, seja pré ou pós-evento cardíaco, a depressão é prevalente entre pacientes com doença cardíaca coronária e é “perigosa”.

Seja para a saúde cardíaca ou mental, o rastreamento e o tratamento de pacientes com depressão podem melhorar a qualidade de vida. Também pode melhorar a parceria terapêutica e melhorar a adesão às recomendações, juntamente com a melhoria da qualidade de vida a longo prazo.