Como a diabetes afeta a sua pele?

Apesar da diabetes ser um problema relacionado à falta de absorção de açúcar ela pode afetar a pele


Com a correria do dia a dia, é comum só lembrarmos da nossa saúde quando algo mais grave chama a nossa atenção. A diabetes é uma doença silenciosa que só é detectada quando seus sintomas aparecem ou quando ela é feitos exames de sangue para checar o nível de glicose no sangue.

A diabetes pode ser de dois tipos, porém, em ambos há a ausência ou insuficiência de insulina. Isso faz com que a glicose (açúcar simples) não seja levado para dentro das células. Por isso, que há maior concentração de açúcar no sangue para quem é diabético.

Essa alta de açúcar no sangue e a falta de insulina podem levar a alguns sintomas e até problemas para o organismo. Focando mais na pele, conheça quais problemas podem surgir nela para quem tem diabetes.

Cicatrização lenta

Um dos cuidados que diabéticos precisam ter é evitar machucados na pele, como arranhões ou cortes. Isso porque, com a alta taxa de açúcar no sangue, a irrigação fica prejudicada nos vasos pequenos, fazendo com que a cicatrização fique lenta.

Dessa forma, pessoas que têm diabetes levam meses para terem um arranhão ou corte cicatrizado. Até mesmo micoses e frieiras podem ser um incômodo muito grande.

Além do mais, o sistema imunológico do diabético também é prejudicado. Isso possibilita o surgimento de infecções, dificultando ainda mais a cura.

Perda da sensibilidade

Outro sistema que é afetado é o nervoso. Com a glicose alta e a falta de irrigação sanguínea, os nervos ficam mais macios. Esse efeito faz com que as pessoas percam a sensibilidade em certas regiões da pele. Além disso, elas podem sentir como se sua pele estivesse sendo espetada e pode surgir a coceira generalizada.

Dermatites

Outro problema que surge com a diabetes é a pele mais ressecada. O sistema de barreira para evitar a perda de água pela pele também é prejudicado por essa doença. Isso deixa a pele menos hidratada.

Com o ressecamento, dermatites podem surgir, ainda mais quando aliada de banhos muito quentes e falta de hidratação. Por isso, é recomendado utilizar cremes hidratantes, pelo menos, uma vez ao dia.

Pé diabético

Uma pessoa diabética tem a pele mais ressecada e propensa a sofrer machucados e infecções. Ao combinar isso com a questão da falta de sensibilidade, um simples arranhão pode surgir e ficar dias sem ser descoberto.

Por conta da baixa irrigação sanguínea, ele vai demorar a cicatrizar e se pegar infecção, o problema pode ficar maior. Com o tempo, se a infecção não é tratada com muito cuidado, ela pode evoluir e alcançar o músculo, a gordura e até os ossos.

Nesse ponto, a única solução para ela não avançar ainda mais é amputar o dedo em que ela está instalada ou até o pé. Caso contrário, a infecção continuará a avançar pelo corpo.

Considerando todas as consequência da diabetes para a pele, é preciso ter mais cuidado com esse órgão para que ele não seja tão afetado pelos efeitos da doença. Mas apesar de todos esses riscos, é possível ter uma vida feliz ao tratar a diabetes e tomar os cuidados básicos para manter a pele hidratada e livre de machucados.